“Se nós somos os responsáveis pelo funcionamento e qualidade das instalações, temos todo o interesse e legitimidade de sermos esclarecidos”, reclamou hoje o presidente da Câmara, Américo Pereira com críticas ao “comportamento dos investigadores”.


O presidente da Câmara de Vinhais insiste que quer saber “quais as escolas intervencionadas, quando foram feitas as visitas, em que salas, datas, quem as acompanhou e resultados científicos”.


A autarquia “repudia este tipo de comportamento e brincadeira quer dos investigadores que lançam opinião quer dos estudos sem qualquer nexo e dos próprios meios de comunicação, que fazem notícia sem terem em sua posse o corpo científico de publicação”.


um estudo