A Federação Nacional da Educação (FNE) considerou «manifestamente insuficiente» o número de vagas anunciado pelo Ministério da Educação para a vinculação extraordinária de professores do ensino artístico especializado.

A FNE anunciou esta segunda-feira que iniciará negociações com o ministério no dia 22, depois de ter enviado uma carta a solicitar um processo negocial com vista à integração de docentes de técnicas especiais a lecionar há vários anos nas escolas especializadas do Ensino Artístico.

«Em causa está um conjunto de docentes, titulares de uma relação jurídica de emprego público por tempo indeterminado e que todos os anos satisfazem as necessidades permanentes destas escolas, sem que lhes seja permitido ingressar na carreira docente» afirma a federação em comunicado.

Segundo a FNE, são professores com formação específica para a docência em áreas distintas daquelas que se enquadram nos atuais grupos de recrutamento atualmente em vigor, pelo que estão «impossibilitados de aceder ao concurso nacional de professores».

Estas escolas apresentam características específicas na área das artes com destaque para a Música, Dança, Comunicação Audiovisual, Design e Desenho, entre outros.

A FNE aguarda o envio da proposta inicial para «corrigir aspetos» de que discorda.

O Ministério da Educação anunciou na quinta-feira que vai abrir cerca de 130 vagas para vinculação de docentes do Ensino Artístico Especializado, com efeitos a 01 de setembro de 2014.