O Centro de Emprego e Formação Profissional de Faro decidiu suspender temporariamente as aulas de uma turma do polo de Olhão em que foi detetado, no final de maio, um caso de tuberculose.

Pelo menos 14 pessoas, entre alunos e formadores do curso de Logística do Ensino e Formação para Adultos, estiveram em contacto com o bacilo da tuberculose, originado por um aluno infetado há vários meses.

«Apesar de não ser clinicamente necessário, essa turma tem a formação suspensa, procurando que neste intervalo de tempo a situação clínica de todos fique estabilizada», refere o centro de Faro em nota informativa enviada no final da semana aos formadores, a que a Lusa teve acesso.

Na missiva, o diretor do Centro de Emprego e Formação Profissional de Faro, que abrange o polo de Olhão, esclarece que todos os formadores e formandos da turma afetada fizeram o rastreio à tuberculose e estão a ser acompanhados pelas autoridades da área da saúde.

«O Sr. delegado de Saúde referiu que utilizar a sala onde esteve essa turma ou a casa de banho que alguns elementos possam ter frequentado não apresenta qualquer problema ou coloca qualquer tipo de risco. Ainda assim, procedemos à sua limpeza e ventilação», lê-se na nota.

Aquele serviço do Instituto de Emprego e Formação Profissional sublinha que «estão e sempre estiveram reunidas as condições para que as ações de formação profissional» decorressem «dentro da normalidade», em Olhão e no resto da região.

As 14 pessoas que estiveram em contacto com o bacilo vão ter que fazer um tratamento que dura nove meses.