Os alunos do projeto de combate ao insucesso escolar da EPIS - Empresários para a Inclusão Social melhoraram os resultados em 15 pontos percentuais no primeiro período deste ano letivo..

“Este é o melhor resultado de sempre dos programas de recuperação de alunos EPIS”

Em comunicado, a associação detalha que as notas apuradas em dezembro último indicam que a percentagem de alunos do 2.º e 3.º ciclos que passou a ter condições de aprovação subiu 15,2 pontos percentuais face a igual período do ano passado. No primeiro período do ano letivo anterior, 2014/15, a percentagem de alunos com condições de aprovação era de 19 e passou este ano letivo para 34,2 por cento.

Avaliado o impacto do programa junto de 374 alunos do 2.º ciclo de oito locais (concelhos de Estarreja, Grândola, Oliveira do Bairro, Pampilhosa, Paredes, Sesimbra e na Madeira e Porto Santo) constatou-se um aumento da percentagem de alunos em condições de aprovação, com quase 50 por cento (47,3%) face aos 33,4 por cento do ano passado.

No 3.º ciclo, e sobre 2.120 alunos envolvidos em quase duas dezenas de concelhos, houve também uma melhoria, com 31,9 por cento dos alunos em condições de aprovação este ano. No ano passado a percentagem fora de 16.5, ainda de acordo com o comunicado.

Os programas de promoção do sucesso escolar da EPIS acompanham atualmente 8.034 jovens (desde setembro de 2015), mais do que os 7.451 no ano letivo anterior.

Citado no comunicado, o presidente da EPIS, Luís Palha da Silva, disse que os resultados “demonstram bem a importância” do programa para recuperação de alunos no 2.º e 3.º ciclos em risco de insucesso escolar.

A EPIS foi criada em 2006 por um grupo de 112 empresários e gestores e é atualmente o maior parceiro privado do Ministério da Educação, do Instituto de Emprego e Formação Profissional e dos Governos Regionais dos Açores e da Madeira no combate ao insucesso e abandono escolar.

No ano letivo passado, e em relação ao anterior, o programa conseguiu resultados positivos para mais de 70% dos alunos, segundo a associação em declarações à Lusa na altura.

O programa tem hoje mais de 350 empresas associadas e parceiros, e já acompanhou mais de 18 mil alunos em 300 escolas de 36 concelhos do continente em cinco ilhas das regiões autónomas.