Cerca de 6.600 acidentes, dos quais resultaram 224 vítimas mortais, foram registados no ano passado na rede rodoviária a cargo da Estradas de Portugal (EP), revelou, esta quinta-feira, a empresa em comunicado.

Segundo a EP, os 6.604 acidentes registados em 2013 representam uma redução superior a 16% em relação a 2010.

De acordo com dados provisórios de sinistralidade divulgados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), citados pela EP, em 2012 registaram-se 6.674 acidentes na rede rodoviária gerida por aquela empresa, em 2011 o número de acidentes foi de 6.968 e em 2010 foi de 7.879.

Em relação ao número de vítimas mortais, a EP afirma no comunicado que «tem conseguido alcançar importantes reduções e superado todas as metas estabelecidas, não só as estipuladas no Plano Nacional de Segurança Rodoviária, como também as que a União Europeia (UE) determinou como objetivo EU2020».

A EP revela ainda que estima antecipar em três anos o objetivo estabelecido pela UE para 2020.

A redução da sinistralidade rodoviária é «um trabalho exigente no qual a EP se dedica fortemente no sentido de melhorar continuamente a segurança», lê-se no comunicado.

Nesse sentido, a EP renova hoje com a ANSR um protocolo de cooperação que estabelece os princípios de colaboração entre as duas entidades em matéria de prevenção e segurança rodoviária, nomeadamente na partilha de informação relativa a sinistralidade rodoviária e à rede rodoviária nacional.

A EP sublinha que o investimento realizado na construção de novas vias e de melhorias ao nível da segurança dos veículos contribuíram decisivamente para a diminuição da sinistralidade.

A empresa revela que vai iniciar agora uma «maior aposta na consciencialização e educação dos utilizadores das vias».