O envelhecimento da população e a qualidade da justiça são os principais desafios para Portugal em 2018, segundo os resultados de um inquérito da responsabilidade da Universidade Católica.

De acordo com o inquérito “2018-Desafios para Portugal”, 54,5% dos inquiridos refere que o envelhecimento da população é um dos principais desafios, seguido pela qualidade da justiça (54,3%), competitividade (45,7%) e burocracia (39,5%).

Por sua vez, 37% das pessoas que responderam ao inquérito mostram-se preocupadas com a dependência do Estado.

O estudo revela também que questões ligadas à formação e capacitação de quadros (18,8%), igualdade de género (18,8%) e responsabilidade social (13,2%) figuram nos últimos lugares da tabela de desafios propostos.

Respostas esperadas

Em declarações à agência Lusa, o reitor da Católica Business & Economics, considerou que algumas respostas, “como o envelhecimento da população e a competitividade”, já eram esperadas.

Competitividade em si tem muito a ver com a burocracia. A ineficiência dos nossos tribunais é um grande entrave à competitividade”, exemplificou Nuno Fernandes.

Segundo o responsável, os resultados obtidos revelam que “está na altura” das empresas se prepararem para uma nova realidade, a de ter “três gerações a trabalhar em conjunto na mesma empresa”.

Para a realização deste estudo, a instituição inquiriu 25 mil pessoas entre os 17 e 71 anos, dos quais, 43% são licenciados, 28% concluíram o secundário, 25% são mestres, 2% doutorados e 2% têm o ensino básico. Entre os respondentes com ensino superior, verifica-se que a maioria pertence a áreas ligadas a Economia e Gestão.