A cidade de Gouveia, no distrito da Guarda, é a mais envelhecida do País, com 246 idosos para cada 100 jovens, revelou o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Número de nascimentos atingiu mínimo de sempre

De acordo com o relatório «Cidades Portuguesas: Um Retrato Estatístico», com dados relativos a 2011, o índice de envelhecimento (que relaciona a população com 65 ou mais anos com a população entre 0 e 14 anos) é menor no total das 159 cidades portuguesas (118 idosos para cada 100 jovens) do que no total de país (128).

Gouveia apresenta o índice mais elevado (246), seguida de Borba (230), Porto (194) e Lisboa (183).

Já as cidades do Caniço e Câmara de Lobos, ambas na Região Autónoma da Madeira, são as mais jovens do país, com 31 e 36 idosos para cada 100 jovens, respetivamente.

Na relação das cidades com menor índice de envelhecimento seguem-se a Póvoa de Santa Iria (Lisboa), com 40 idosos para cada 100 jovens, Ribeira Grande (São Miguel, Açores), com 45 e Gandra (Paredes), com um índice de 49.

Por região, o conjunto das 17 cidades da região de Lisboa apresenta o maior índice de envelhecimento do país, ali residindo 135 idosos com mais de 65 anos para cada 100 jovens.

As cidades da Região de Lisboa superam o total nacional (128), o das cidades portuguesas (118) e também o índice de envelhecimento da própria região (117).

De acordo com os mesmos dados, as 21 cidades alentejanas situam-se, também, acima do total nacional das cidades, com 127 idosos para cada 100 jovens, a exemplo das 43 cidades do Centro do país que registam, no total, 121 idosos para cada 100 jovens.

O relatório do INE indica ainda que a proporção de pessoas com 65 ou mais anos a viverem sozinhas é «ligeiramente inferior» nas cidades (9,7 %) face ao total do país (10,1%).

O conjunto das 17 cidades da região de Lisboa situa-se acima da média nacional (11,7%), «revelando que, para além de uma população envelhecida, as cidades da região de Lisboa apresentavam uma população idosa tendencialmente mais isolada do que no conjunto do país», sustenta o INE.

Neste indicador, acima da média das cidades e do total do país está, igualmente, o conjunto das 21 cidades do Alentejo com 10,9 por cento.