Os idosos podem estar a alimentar-se mal. O aviso é feito pelos nutricionistas, que revelam que muitas pessoas mais velhas optam por comer pão, bolachas e fruta ao longo do dia. Esta opção faz com que os idosos não adquiram os nutrientes necessários, levando ao seu emagrecimento e até a carência alimentar.

Em entrevista à TVI, a nutricionista Catarina Oliveira afirmou que os idosos "devem fazer refeições completas" e não optarem "só pelo chá e as torradas".

"Na terceira idade, as necessidades energéticas são mais reduzidas. Isto quer dizer que a população idosa precisa de menos calorias, mas isto não quer dizer que a qualidade da dieta deva ser inferior e o que acontece muitas vezes é que, por ser mais prático ou porque os idosos têm dificuldades em ir às compras e carregar os sacos ou a preparar as refeições, acabam por cozinhar qualquer coisa muito rápida e muito prática, também porque estão sozinhos ou porque acham que qualquer coisa é suficiente".


Estas opções acabam por fazer com os idosos ingiram "muito poucas calorias" e "muito pouca proteína" o que pode levar a um défice de proteína, uma vez que "um idoso que não tenha nenhuma patologia crónica" tem uma necessidade de proteína "muito semelhante à de um adulto saudável".

"Portanto, mesmo com todas as dificuldades, por exemplo por falta de dentição, dificuldade em deglutir, até mesmo com questões que estão relacionadas com a alteração do paladar e do olfato, é muito importante que os idosos não se esqueçam de fazer, pelo menos, seis refeições por dia (...) e o almoço e o jantar devem ser refeições completas. As sopas e as papas podem estar presentes de vez em quando, mas não devem ser as escolhas de eleição".


Outro dos alimentos que deve estar presente na alimentação dos idosos é a fruta, a par com os legumes. Destacando que "todas as frutas são essenciais", Catarina Oliveira afirma que "devem ser ingeridas cinco doses de fruta ou de hortícolas" por dia.

Para ajudar a que os idosos façam refeições mais completas e uma alimentação correta, filhos e netos devem ajudá-los nas tarefas.

"Se não puderem estar presentes todos os dias, podem ajudar a planear, a ir às compras, a garantir que a despensa e o frigorífico têm todos os alimentos necessários e ajudar a cozinhar em quantidades a mais para poder ser guardado no frigorífico ou até congelado e assim o idoso não ter de estar todos os dias a cozinhar".