A esmagadora maioria dos 163 hospitais avaliados pela Entidade Reguladora da Saúde cumpre critérios de qualidade em termos de excelência clínica, de acordo com o Sistema Nacional de Avaliação em Saúde (SINSAS) divulgado esta segunda-feira.

O SINAS avaliou 163 prestadores de cuidados de saúde de natureza hospitalar, dos setores público, privado e social, que voluntariamente se submetem à avaliação.

Os resultados indicam que 130 das 163 unidades obtiveram resultados na dimensão da excelência clínica, havendo 17 que declinaram a avaliação.

Dos 130 efetivamente avaliados na dimensão de excelência clínica, 82 por cento demonstraram cumprir os critérios de qualidade exigidos, tendo obtido a ‘estrela’ do primeiro nível de avaliação. Apenas sete prestadores não obtiveram a ‘estrela’.

Segundo a Entidade Reguladora da Saúde (ERS), no que se refere à excelência clínica aumentaram as unidades que tiveram nível máximo de qualidade nas áreas de ortopedia, cirurgia de ambulatório e ginecologia, em comparação com a avaliação anterior, realizada em junho deste ano.

Ainda assim, nem metade das unidades apresentou o nível de qualidade III (superior) nestas áreas: 46% na ortopedia, 44% na cirurgia de ambulatório e 27% na ginecologia.

A ERS avaliou também a dimensão da segurança do doente em 162 hospitais, sendo que 76% demonstraram cumprir os critérios de qualidade exigidos, obtendo a estrela do primeiro nível de avaliação.

Comparando com a avaliação realizada no ano passado, a ERS constata um aumento do número de prestadores que se submeteram à avaliação, bem como um aumento do número dos que atingiram o primeiro nível de avaliação nos seguintes critérios: segurança do doente (mais 9%); adequação e conforto das instalações (mais 22%); focalização no utente (mais 31%) e satisfação do utente (mais 24%).