O Estado vai financiar mais de 650 novas turmas de colégios privados, durante os próximos três anos letivos.

 

Em causa estão contratos de associação celebrados entre o ministério da Educação e os colégios, que têm de garantir ensino gratuito aos alunos das turmas que obtêm financiamento estatal.

 

Este ano, pela primeira vez, a seleção foi feita através de um concurso com base em critérios como os resultados nas provas e exames nacionais.

 

Segundo o jornal Público, no processo foi excluído apenas um colégio por não se encontrar na freguesia pela qual se candidatou.

 

Por cada turma com contrato, os colégios recebem 80 mil e 500 euros por ano. Menos 520 euros do que no ano passado.