Um empresário de Amares ameaça estacionar os seus 12 camiões frente à Câmara em protesto pela "situação insustentável" que diz ter sido criada por sinalização municipal, mas a autarquia declina responsabilidades e afirma que a questão "é judicial".

Em declarações à Lusa, o responsável pela Bracicla, uma empresa de reciclagem instalada em Amares, António Veloso, explicou que um sinal de trânsito colocado na rua de acesso à empresa, "por decisão da autarquia", impede a circulação de camiões entre as 20:00 e as 08:00, estando a "pôr em causa o normal funcionamento da empresa". Levou mesmo, de acordo com a fonte, a GNR a "montar piquetes de caça à multa" no local, tendo a Bracicla já cerca de 3 mil euros em coimas para pagar.

Segundo António Veloso, "os problemas com a circulação dos camiões começaram em 2015", com queixas dos vizinhos que chegaram aos tribunais.

Eles fizeram a luta deles, nós fizemos a nossa. Entretanto a câmara pôs na rua um sinal que impede a circulação de camiões no acesso à empresa entre as 20:00 e as 08:00. Ou seja, não podemos sair para trabalhar antes das 08:00 nem chegar depois das 20:00, o que é impraticável porque nós operamos em todo o país", explicou o responsável.

António Veloso disse que a Bracicla contestou a sinalização. "Foi-nos dito pela câmara que tudo seria resolvido, que seria feito um acesso alternativo, mas já lá vão dois anos e nada. Entretanto, temos quase todos os dias a GNR aqui, a fazer piquetes e a passar multas. Passam a multa de pelo menos, 24,96 euros e, somando tudo, já lá vão 3 mil euros. É como se fosse uma portagem e cara. É insustentável", disse.

O responsável explicou que a situação agravou-se e que por isso decidiu "partir para o protesto" até que seja encontrada uma solução.

Há uns dias fui chamado à GNR para ser avisado que os meus motoristas iam ser detidos por desrespeito, porque o volume de coimas era já elevado. Isso entendo, é a lei. O que não entendo é como é que a câmara nos dá todas as condições e licenças para operar e depois faz isto", explanou.

Assim, disse, "em forma de protesto os camiões da Bracicla que tenham que sair antes das 08:00 ou cheguem depois das 20:00 vão ficar estacionados frente à Câmara Municipal até que isto seja resolvido. Podem ser até 12".

À Lusa, o presidente da Câmara Municipal de Amares, Manuel Moreira, recusou "qualquer culpa" da autarquia na questão explicando que "há uma decisão judicial que impede os camiões de circular fora daquelas horas (08:00-20:00) naquele local".

Isto não tem nada a ver com a câmara. Está a ser tratado um acesso alternativo, mas não é da noite para o dia", disse.

Sobre o aparcamento dos camiões frente à Câmara Municipal, o autarca não se mostrou preocupado "desde que estejam, bem estacionados”.

“Não resolve nada, mas isso é com ele”, respondeu, referindo-se a António Veloso.