Diversas instalações da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) estão desde segunda-feira sem serviços de vigilância, após o final do contrato com a empresa que os assegurava, denunciou esta terça-feira o sindicato do setor.

Questionada pela agência Lusa, fonte da ASAE garantiu que ainda durante o dia de hoje será feita a alteração da empresa prestadora de serviços, garantindo que na transição “foram reforçados os procedimentos de segurança”.

Em comunicado enviado, a Associação Sindical dos Funcionários da ASAE lamentou que após o término do contrato com a empresa de vigilância, em 31 de dezembro, não tivesse sido acautelada “atempadamente” a sua substituição.

Para o sindicato, o Ministério da Economia descurou “a segurança de instalações de um Órgão de Polícia Criminal onde se encontram armazenadas, por exemplo, armas de fogo ou milhares de artigos apreendidos à guarda de inúmeros processos, além de descurar a própria segurança de todos os trabalhadores”.

Como solução de recurso, durante o dia de hoje foram colocados funcionários da carreira de assistente técnico da ASAE a assegurar as funções anteriormente acometidas a trabalhadores de empresas de segurança privada. Findo o período normal de funcionamento dos serviços, serão os próprios Inspetores-Diretores a assegurar a segurança das diferentes instalações até ao seu encerramento”, lamentou.

Sobre este processo, a ASAE esclareceu que, no âmbito da alteração da empresa prestadora de serviços de vigilância, a empresa à qual foi adjudicada a prestação de serviços tem, nos termos legais, um prazo de cinco dias úteis para apresentação de documentos legais obrigatórios e dar início à referida atividade.

A ASAE desenvolveu contactos com a citada empresa no sentido de procurar minimizar o referido prazo, salvaguardando o cumprimento de todos os procedimentos legais, de modo a garantir o início da prestação de serviços o mais rapidamente possível”, disse.

Tais diligências têm como objetivo assegurar que, ainda durante o dia de hoje, é dado início à atividade da empresa selecionada no âmbito do procedimento concursal conduzido pela Secretaria Geral do Ministério da Economia”, acrescentou.

A ASAE garantiu que desde as 00:00 do dia 01 de janeiro de 2018, e no sentido de salvaguardar a transição entre empresas prestadoras dos serviços de vigilância, “foram reforçados os procedimentos de segurança”.