Os 52 trabalhadores do Bingo do Estrela da Amadora, cuja licença de concessão termina no final do mês, vão manter os postos de trabalho até à adjudicação do espaço, anunciou fonte do Turismo de Portugal esta terça-feira.

Segundo fonte do Turismo de Portugal, «foi já autorizada a abertura de concurso público para adjudicação de uma nova concessão», uma vez que a licença de concessão de jogo atribuída ao Bingo do Estrela da Amadora vai caducar no dia 31 de outubro.

«A título excecional, permitir-se-á a continuidade do funcionamento da atual sala até à adjudicação», comunicou o Turismo de Portugal, em resposta a perguntas efetuadas pela agência Lusa.

Em relação à possível integração dos atuais trabalhadores do bingo no caderno de encargos da nova concessão e com as mesmas condições de trabalho, o Turismo de Portugal remeteu uma decisão para depois da reunião da próxima sexta-feira.

Para sexta-feira, os trabalhadores têm agendada uma reunião com a Direcção-Geral do Emprego e das Relações de Trabalho, em Lisboa, com a presença de responsáveis do Turismo de Portugal, a entidade que explora o bingo - Pataca da Sorte - e com o administrador da insolvência, Paulo Sá Cardoso.

Os trabalhadores do bingo manifestaram-se hoje junto ao Ministério da Economia, em Lisboa, exigindo «garantias de que os 52 postos de trabalho existentes se mantenham» com a nova concessão do espaço.

Em declarações à agência Lusa, Maria das Dores Gomes, do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Hotelaria, Turismo, Restaurantes e Similares do Sul, explicou que está a decorrer um novo concurso de concessão do espaço, mas sem que os trabalhadores tenham sido informados sobre quais as condições e qual será o seu futuro.

«Os trabalhadores sentem uma insegurança enorme enquanto ao futuro dos seus postos de trabalho», referiu.

No final da manifestação, os trabalhadores do bingo e os responsáveis pelo Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Hotelaria, Turismo, Restaurantes e Similares do Sul foram recebidos no Ministério da Economia, onde estiveram reunidos com o secretário de Estado do Turismo.

A Lusa tentou obter esclarecimentos por parte do Ministério da Economia, em relação ao futuro dos 52 postos de trabalho do Bingo do Clube de Futebol Estrela da Amadora, mas até ao momento não foi possível.