Cerca de 30 mil portugueses chegaram ao Reino Unido em 2014 para trabalhar, apenas um por cento a mais do que no ano anterior, confirmando uma tendência de estabilização, revelam esta quinta-feira números oficiais sobre as inscrições na Segurança Social.

O boletim estatístico do Ministério do Trabalho britânico indica que no ano passado pediram um número de segurança social 30,55 mil portugueses, mais um por cento face aos 30,12 mil de 2013.

O ligeiro aumento contrasta com o incremento de 47 por cento observado nos 12 meses anteriores: em 2012 tinham-se registado apenas 20,44 mil portugueses na segurança social britânica, obrigatória para quem queira trabalhar no Reino Unido pela primeira vez.

A tendência de estabilização já se tinha observado no boletim trimestral divulgado em novembro, que indicava que nos 12 meses entre setembro de 2013 e setembro de 2014 tinham feito inscrição 28.046 mil portugueses, apenas 0,77% menos do que os 28.263 mil registados no mesmo período de 2012/13.

Portugal desceu no ranking dos países com maior número de novos inscritos na segurança social britânica da quinta para a sétima posição devido às subidas acentuadas de imigrantes romenos e búlgaros, cujas restrições para trabalharem no Reino Unido terminaram em janeiro do ano passado.