O INEM acionou 1.071.736 meios de socorro em 2013, mais 145.696 do que em 2012, o que permitiu dar resposta a mais de 860.000 ocorrências de emergência médica no ano passado, indicou este domingo aquela organização.

Dos 1.071.736 meios de emergência acionados no ano passado, 929.916 foram feitos pelas ambulâncias de socorro, em que a principal missão consiste em assegurar a rápida deslocação de uma tripulação com formação em técnicas de emergência médica, adianta uma nota do Instituto Nacional de Emergência Médica.

Segundo o INEM, estes meios estão a cargo do INEM, bombeiros e Cruz Vermelha Portuguesa, entidades que prestam socorro no âmbito da emergência pré-hospitalar.

No ano passado, as motas do INEM, que prestam serviço nos principais centros urbanos, foram acionadas para 5.648 ocorrências.

As Viaturas Médicas de Emergência e Reanimação (VMER), distribuídas pelas várias unidades hospitalares do país, foram acionadas para 101.644 situações, enquanto as ambulâncias de Suporte Imediato de Vida (SIV) contaram com 33.475 acionamentos.

Os helicópteros de emergência médica, que tem a função de transporte de doentes graves, foram acionados para 1.053 ocorrências.

Na nota, o INEM explica que, é através do Número Europeu de Emergência ¿ 112, que os Centros de Orientação de Doentes Urgentes (CODU), distribuídos por Porto, Coimbra, Lisboa e Faro, recebem as chamadas que posteriormente dão origem ao acionamento dos meios de emergência.

O CODU faz a coordenação e acionamento dos diversos tipos de ambulância motas de emergência, viaturas médicas de emergência e reanimação e helicópteros de emergência médica.

Segundo o INEM, o acionamento destes meios de emergência é realizado de acordo com os sinais e sintomas que a vítima apresenta no momento da chamada para o CODU.