A Empresa Municipal de Estacionamento de Lisboa (EMEL) inicia na quinta-feira a fiscalização à noite do estacionamento no Príncipe Real e na Praça da Alegria, duas semanas depois de ter alargado o horário de fiscalização em Carnide.

A fiscalização noturna ¿ com bloqueadores e reboques ¿ incide sobre os veículos parqueados nas áreas exclusivas para residentes sem o respetivo dístico e nos casos de ausência de pagamento nas áreas tarifadas ou outras infrações, indicou a empresa.

A partir de 01 de setembro, a fiscalização estende-se às bolsas de residentes e lugares de estacionamento tarifados do Chiado e em São Paulo.

O alargamento da atividade de fiscalização da EMEL até às 23:30 iniciou-se a 01 de agosto, na zona de Carnide-Quinta da Luz.

A EMEL disse à Lusa que não dispõe de números sobre as infrações registadas nesta primeira fase de fiscalização noturna do estacionamento, mas afirmou considerar que «correu bem».

Também o presidente da Junta de freguesia de Carnide, Paulo Quaresma (CDU), está satisfeito com o resultado. À Lusa, o autarca afirmou que foi a junta de freguesia que fez chegar à EMEL a necessidade, sentida pelos moradores nas zonas da Quinta da Luz, Bairro Novo de Carnide e Quinta do Bom Nome, de se fiscalizar os lugares de estacionamento reservados a residentes.

«A organização do estacionamento nesta zona é mista: nas ruas principais há parquímetros, nas ruas mais pequenas e nas praças há lugares exclusivos para residentes. Mas como não havia fiscalização, e porque estas zonas ficam próximas do Centro Comercial Colombo, de uma universidade e de uma estação de metro, a pressão, sobretudo à noite e aos fins de semana, era muito grande», explicou.

Paulo Quaresma afirmou que em causa estão cerca de dois mil dísticos de residentes atribuídos e «uma área significativa».

O autarca também não dispõe de números sobre multas, bloqueios e reboques, mas afirmou que lhe chegaram relatos de viaturas rebocadas «quase diariamente».

«Estou satisfeito. Acho que a medida veio ajudar a regular este sistema. O modelo não é perfeito, mas assim os residentes sabem que conseguem estacionar o carro perto de casa», acrescentou.

A EMEL fiscaliza o estacionamento até às 23:30 nestas zonas, mas admite estender o horário «se as necessidades da cidade o justificarem».