As autoridades marítimas de Lagos rebocaram, na madrugada deste domingo, uma embarcação inglesa que estava “à deriva e sem governo” com quatro tripulantes a bordo, ao largo do Cabo de São Vicente, adiantou a Autoridade Marítima Nacional em comunicado.

“O Capitão do Porto e Comandante-local da Polícia Marítima de Lagos, em articulação com o Centro de Coordenação de Busca e Salvamento Marítimo de Lisboa (MRCC Lisboa), coordenou durante a madrugada do dia 16 de julho uma operação de assistência e reboque da embarcação motorizada “Jetstream”, com quatro tripulantes de nacionalidade Inglesa a bordo, que se encontrava à deriva e sem governo a três milhas a noroeste do cabo de São Vicente”, adiantou o comunicado da Autoridade Marítima Nacional (AMN).

O alerta foi dado pelo ‘skipper’ da embarcação pouco depois das 04:00, “reportando que teria ficado sem combustível” e que, “devido à inexistência de vento na área” se encontrava “à deriva sem capacidade de governo”, solicitando, por isso,”apoio externo”.

“De imediato, foi empenhada a embarcação “SR-33” da Estação Salva-vidas do ISN de Sagres, de forma a prestar a assistência, estando preparada para efetuar operações de reboque, se necessário. Ao chegar ao local da ação, confirmou-se que a embarcação não possuía qualquer capacidade de governo e foi decidido efetuar operações de reboque para o porto da Baleeira em Sagres, onde atracou em segurança pelas 09:15”, esclareceu a AMN, segundo a Lusa.