Portugal foi esta terça-feira eleito, em Paris, para o Comité do Património Mundial da UNESCO, para um mandato que decorre até 2017, anunciou o ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE).

Em comunicado, o MNE informa que a eleição ocorreu no âmbito da 19ª Assembleia dos Estados Parte à Convenção do Património Mundial, Cultural e Natural, que decorre em Paris entre terça e quinta-feira.

Portugal, que já pertenceu ao comité entre 1999 e 2005, foi eleito com 111 votos, sendo escolhido entre 22 países candidatos para 12 vagas.

«Esta eleição reflete, uma vez mais, o reconhecimento do compromisso de Portugal com o sistema das Nações Unidas e com o multilateralismo, traduzindo em concreto um claro reconhecimento do nosso contributo construtivo em termos de cooperação internacional em matéria de património, bem como da valia do património histórico português e do empenho, experiência e competência do nosso país na preservação e gestão de bens patrimoniais, edificados ou naturais», refere o ministério.

Portugal tem atualmente 15 bens classificados como Património Mundial da UNESCO.

O Comité do Património Mundial é composto por 21 Estados Parte da Convenção do Património Mundial, Cultural e Natural, sendo responsável pela sua aplicação e gestão, bem como pela utilização dos fundos do património mundial. O Comité tem ainda a responsabilidade de decidir quais os bens a inscrever na lista do Património Mundial e analisar os relatórios sobre o estado de conservação dos bens que já se encontram inscritos.

«O Governo português reitera o seu compromisso para com a UNESCO e o seu papel insubstituível na cooperação internacional nos domínios da educação, da ciência e da cultura», acrescenta o comunicado do ministério liderado por Rui Machete a que a Lusa teve acesso.