O Ministério da Educação anunciou que restam 190 professores sem componente letiva, contra cerca de 400 em igual período do ano passado, após saírem os resultados da segunda reserva de recrutamento de docentes para este ano letivo.

“Um número inédito para esta altura do ano”, frisa o ministério em comunicado ao anunciar que foram ainda preenchidos 5.987 horários anuais e temporários completos e incompletos através deste instrumento de colocação de professores.

Mais de 3.000 destes horários dizem respeito a substituições temporárias, como baixas médicas, licenças de parentalidade e dispensas para amamentação.

A segunda reserva destina-se a preencher os horários solicitados pelas escolas até 13 de setembro para responder a situações de última hora.

Os horários são ocupados prioritariamente pelos docentes dos quadros que se encontram sem componente letiva, seguindo-se os candidatos à contratação por ordem de preferência manifestada.

Segundo o ministério, parte destes horários foram atribuídos a professores que ficarão afetos ao Programa de Promoção do Sucesso Escolar e por professores tutores, que irão ajudar os alunos com mais dificuldades na aprendizagem.

Estes docentes têm agora um prazo de 48 horas para aceitar a colocação, através de uma aplicação eletrónica.