O ministro da Educação, Nuno Crato, afirmou esta quinta-feira, em Viana do Castelo, que as obras de reabilitação na Escola de Música do Conservatório Nacional «estão prestes» a avançar com a «recuperação do telhado, o problema principal daquele edifício».

«Está prestes a ser iniciado um conjunto de obras de recuperação do telhado, que está na origem dos problemas mais graves que existem no Conservatório, e estamos a trabalhar com toda a rapidez possível para que isso seja resolvido», sustentou, sem especificar o prazo para arranque da empreitada.

O ministro, que falava aos jornalistas à margem da cerimónia de tomada de posse da nova direção do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC), adiantou que a reabilitação daquela escola de música está incluída «na lista nacional de prioridades».

Questionado se a realização da intervenção irá implicar o encerramento daquela escola disse «que é um problema que está a ser analisado».

«A Direção Geral de Estabelecimentos Escolares (DGEST) está a estudar esse problema e está a procurar soluções em conjunto com a direção da escola, e não queria adiantar mais sobre isso. Agora que é uma prioridade nossa, é», assegurou.

Nuno Crato sublinhou que o problema do Conservatório «arrasta-se há muitos anos, pelo menos há uma década, e merece soluções imediatas e soluções de fundo».

O parlamento foi hoje unânime no lamento sobre o estado de degradação da Escola de Música do Conservatório Nacional, com a oposição a criticar a falta de intervenção do Governo.

Esta semana, os alunos do Conservatório realizaram uma noite de vigília em que o piano «não parou até alta altas horas» da madrugada.

Cerca de cem pessoas passaram a noite nas instalações do Conservatório Nacional, respondendo ao apelo da comissão criada na escola de música para exigir obras no edifício, em avançado estado de degradação.

Na sequência de uma vistoria da Câmara Municipal de Lisboa, foram encerradas 10 salas por motivos de segurança, outras apresentam também riscos, devido à deterioração dos tetos.