Os professores com mais de 40 anos representam 77,3% do total nacional, sendo que 39,5% tem mais de 50 anos. Em contrapartida, há apenas 451 docentes com menos de 30 anos a lecionar no ensino público, ou seja, 1,4% do total nacional.

Ainda assim, é no ensino privado que estão os professores mais jovens: 1413 tem menos de 30 anos.

Os dados constam do relatório divulgado esta quarta-feira pela Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência (DGEEC) sobre o Perfil do Docente relativo ao ano lectivo 2014/2015, e evidencia o envelhecimento do corpo docente nas escolas portuguesas.

O relatório dá conta ainda da perda abismal do número de docentes de ano para ano: desde o ano letivo de 2004/2005, perderam-se mais de 42 mil docentes no total dos vários níveis de ensino (excluindo o superior).

Ainda assim, foi o setor público que mais professores perdeu. Há dez anos, existiam 167 mil docentes no ensino público (ou seja, 91,5% do total). No último ano letivo, valiam menos 2,1 pontos percentuais.

O Perfil do Docente mostra-nos ainda que a profissão continua a ser dominada pelas mulheres. Na educação pré-escolar, a percentagem é especialmente esmagadora: menos de 1% dos docentes são do sexo masculino.

No que toca ao vínculo contratual dos docentes, o volume de contratados é maior no 3º ciclo do básico e secundário. O pré-escolar é o nível de ensino onde há mais professores nos quadros: são 92,1% o total.