O ministro da Educação e Ciência, Nuno Crato, garantiu esta terça-feira, no Parlamento, que o ministério não vai «fazer experimentalismos» na preparação do próximo ano letivo, que será «mais atempada do que é habitual».

«Vamos ultrapassar este momento, temos um ano de trabalho, e há uma coisa que queria assegurar aos senhores deputados: na preparação do próximo ano letivo não vamos fazer experimentalismos. A preparação do próximo ano letivo vai ser mais atempada do que é habitual. Temos a experiência destes anos letivos, há erros que são corrigidos e há processos que vão ser melhorados», disse Nuno Crato aos deputados da comissão parlamentar de Educação, Ciência e Cultura, onde foi ouvido esta tarde.

O ministro frisou que é preciso «avaliar os erros que foram cometidos, melhorar o que deve ser melhorado», não deixando de «apurar algumas responsabilidades que naturalmente existam».

Sobre a Direção-Geral da Administração Escolar (DGAE), que recentemente viu empossada uma nova diretora, Crato disse que tem que se «repensar alguns aspetos», e que o ministério está a trabalhar para que a nova equipa, «que brevemente estará completa», tenha «um espírito de diálogo e humildade em relação às escolas e aos diretores», para acolher as suas perspetivas e trabalhar com eles.