melhorias nos resultados



Sobre os resultados, o ministro acrescentou que “há uma estabilização com uma ligeira tendência de melhoria”, o que considera “um bom sinal”.


“Não olhamos para estes resultados como resultados ótimos. Olhamos para eles como uma estabilização, talvez com alguma tendência de subida. Se essa tendência se continuar a manifestar isso são bons resultados. Isso não quer dizer que já estejamos a atingir os resultados que queremos”, disse, no final da cerimónia que decorreu hoje no Teatro Thalia, no Palácio das Laranjeiras, em Lisboa.


“Nós temos que ter um sistema altamente competitivo no ensino superior, porque é disso que o país precisa. E para isso precisamos que as universidades e politécnicos tenham os instrumentos de contratação dos docentes que considerem melhores para essas funções”, disse.


“Não estamos atrasados na publicação do despacho de organização do ano letivo, as escolas começam agora a pensar nisso. O despacho vem na continuidade dos anos anteriores e com dois grandes objetivos: autonomia às escolas e que as escolas a utilizem a favor da melhoria dos resultados dos seus alunos. Isso mantém-se”, declarou.