Dois em cada três agentes da PSP e da GNR não têm o 12º ano de escolaridade, um quadro que o Estado quer alterar até 2010, disse esta segunda-feira a vice-presidente da Agência Nacional para a Qualificação, revela a Lusa.

De acordo com Maria do Carmo Gomes, que citou dados de 2006, os quadros da PSP e a GNR incorporam, no seu conjunto, 49 mil efectivos, dos quais 35 mil têm qualificação escolar inferior ao 12º ano.

A vice-presidente da Agência Nacional para a Qualificação, entidade que gere o programa «Novas Oportunidades», afirmou que o objectivo, ao nível da qualificação dos efectivos das forças policiais, é conseguir que todos os agentes das duas polícias tenham o 12º ano até 2010.

Maria do Carmo Gomes precisou que 550 polícias já obtiveram diplomas no âmbito do programa «Novas Oportunidades», estando mais 1.400 inscritos ou em formação.

A responsável, que falava aos jornalistas em Penafiel, à margem de uma cerimónia de entrega de certificações de nível secundário a 41 militares da GNR, afirmou que o défice de qualificação dos efectivos policiais é similar ao do conjunto da população activa portuguesa.

Do conjunto de militares certificados hoje, 28 obtiveram o diploma do nono ano de escolaridade e os restantes 13 o diploma do 12º ano.

A cerimónia foi presidida pelo ministro da Administração Interna, Rui Pereira, que, num breve discurso, defendeu a necessidade da formação contínua dos efectivos policiais ao longo da sua carreira.

Rui Pereira não se disponibilizou para esclarecer os jornalistas sobre as matérias de actualidade relacionadas com o seu ministério.