“Estamos neste momento a trabalhar para que crianças com doenças oncológicas possam ter condições especiais. Era algo que existia na lei, mas que não estava regulamentado”, afirmou o ministro perante os deputados da comissão parlamentar de Educação, acrescentando que devido à falta de regulamentação a ida à escola destas crianças só acontecia “com boa vontade” e voluntarismo das escolas e famílias.









Remoção de amianto nas escolas pode passar para a Parque Escolar



“É algo que está em cima da mesa e que estamos a entender qual é a viabilidade, por uma questão de economia de escala. Até ao final do próximo ano letivo, vamos proceder às obras que forem consideradas prioritárias”, declarou Tiago Brandão Rodrigues.















“A grande maioria dos diretores vai ao encontro do nosso modelo, das nossas premissas, até do nosso calendário”, disse o ministro.