O ministro da Educação deu garantias que os professores lesados pelos concursos deste ano letivo vão entrar nos quadros, avança o jornal «Diário de Notícias». A lei já prevê que ao fim de cinco contratos seguidos, com horários completos, essa possibilidade seja «semiautomática», mas os problemas deste ano poderiam baralhar as contas.

Mais de 400 docentes tinham sido prejudicados pelos erros nas Bolsas de Contratação de Escolas (BCE) e, após o pedido de desculpas, Nuno Crato tenta acalmar os ânimos. Outros 415 professores já tinham conseguido um lugar nos quadros após ficarem colocados na lista inicial.

Desde 2011 já saíram do sistema 22 mil professores mas, até ao momento, o Governo apenas abriu 2 700 mil vagas.