O presidente da Câmara de Gaia defendeu esta sexta-feira ser necessário “arrefecer o clima” e restabelecer a comunicação entre Porto e Vigo já que regiões como a Galiza e o Norte de Portugal “não podem estar de costas voltadas”.

“Acho que é preciso arrefecer o clima e julgo que o mais importante é dizer que a luta pela manutenção da TAP e pelo reforço do aeroporto Francisco Sá Carneiro é uma luta justa e que vale a pena ter”, afirmou Eduardo Vítor Rodrigues.

O autarca reagiu assim ao corte de relações, anunciado na quinta-feira pelo alcaide de Vigo, Abel Caballero, com o presidente da Câmara do Porto, na sequência de uma entrevista que Rui Moreira deu à revista Visão, a propósito da intenção da TAP de criar uma ligação entre Vigo e Lisboa e onde comparou a cidade galega a uma “salsicha fresca dentro de uma francesinha”.

Esta sexta-feira, o presidente da Câmara de Gaia disse ser necessário “encontrar uma fórmula para restabelecer a comunicação entre as partes” até porque “duas regiões como a Galiza e o Norte de Portugal não podem estar de costas voltadas”.

“Eu acho que é uma luta muito especial, muito específica e reconheço que durante muitos meses o anterior Governo e a própria administração da TAP trataram mal os autarcas e agora se calhar, havendo este momento de exibição pública da situação, se calhar estão a pagar os justos pelos pecadores”, acrescentou.

Para o também autarca da Frente Atlântica – que reúne Porto, Gaia e Matosinhos – “é importante é neste momento dosear um bocadinho o debate público porque isto, até do ponto de vista da perceção dos cidadãos, não é uma coisa que agrade ninguém”.

Vítor Rodrigues adiantou que na próxima semana aquela associação de municípios irá reunir e espera que seja possível “encontrar uma plataforma de restabelecimento do diálogo”.

Também esta sexta-feira, o presidente do Eixo Atlântico, Ricardo Rio, garantiu que vai empenhar-se pessoalmente em aproximar os autarcas do Porto e de Vigo para resolver o corte de relações motivado pela ligação da TAP entre aquela cidade galega e Lisboa.

Já o secretário-geral do Eixo Atlântico, Xoan Mao, apelou "à calma e ao bom senso" no conflito Porto/Vigo, pedindo para cessar uma "zanga" de autarcas que "põe em causa" um trabalho conjunto de 25 anos.

Em resposta às declarações de Moreira à revista Visão sobre a intenção da TAP de criar uma ligação entre Vigo e Lisboa, Caballero exigiu um "pedido de perdão" à cidade galega pelo "insulto claríssimo e intolerável" de foi alvo.

Contactada pela Lusa, a Câmara de Matosinhos, que integra a Frente Atlântica, escusou-se a fazer qualquer comentário.