Os juros da dívida portuguesa continuavam esta quinta-feira a subir em todos os prazos, a 10 anos para 3,966%, um máximo desde 14 de abril último.

Cerca das 12:30, os juros a 10 anos estavam em 3,966%, depois de terem terminado a 3,771% na quarta-feira e de terem descido até aos 3,323% a 11 de junho, um mínimo desde outubro de 2005.

No prazo a cinco anos, os juros estavam a subir para 2,703%, acima dos 2,5% pela primeira vez desde 09 de junho (quando bateram o mínimo de sempre nos 2,102%) e depois de terem terminado a 2,460% na quarta-feira.

No mesmo sentido, a dois anos, os juros da dívida estavam a subir para 1,079%, acima de 1% pela primeira vez desde 05 de junho, depois de terem fechado a 0,954% na quarta-feira e de terem descido até 0,839% a 04 de julho, um mínimo de sempre.

Depois de a 17 de maio, Portugal ter abandonado oficialmente o resgate sem programa cautelar, os juros da dívida em todos os prazos registaram uma tendência para a baixa.

O programa de ajustamento solicitado à 'troika' (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional), no valor de 78 mil milhões de euros, esteve em vigor cerca de três anos, c