Os inspetores da ASAE realizam esta sexta-feira uma greve nacional e uma manifestação, em Lisboa, para protestaram contra os cortes nos salários, falta de efetivos e por um estatuto profissional.

O presidente da Associação Sindical dos Funcionários da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASF-ASAE), Albuquerque do Amaral, disse à agência Lusa que o sindicato decretou greve para os inspetores poderem participar na manifestação, que tem já confirmada a presença de mais de 100 profissionais de todo o país.

Segundo o sindicato, que representa 204 associados dos 238 inspetores da ASAE, a greve vai afetar toda a atividade operacional da Autoridade de Segurança Alimentar e Económica, como operações de fiscalização, diligências processuais e inspeções baseadas em denúncias, além de ações de formação que estão a decorrer.

O presidente do sindicato adiantou que atualmente existe uma «desmotivação altíssima» e «enorme descontentamento» entre os inspetores da ASAE, sentindo, muitos deles, que as «expectativas foram defraudadas».

Para a ASF-ASAE, os cortes salariais, que resultaram na «perda de rendimentos que chegam a ultrapassar os 250 euros mensais», estão a criar «situações sociais muito debilitadas».

De acordo com o sindicato, há inspetores-adjuntos que estão a ganhar atualmente 750 euros mensais, depois de feitos todos os cortes.

Outro dos motivos do descontentamento é a ausência de um estatuto profissional, documento que os inspetores reclamam desde 2006, quando foi criada a ASAE.

Albuquerque do Amaral lembrou que a «ASAE é o único órgão de polícia criminal que não possui um estatuto próprio».

A manifestação começa às 15:00 no Ministério das Finanças e termina no Ministério da Economia.