Quase 27.000 condutores foram apanhados este ano pela GNR com excesso de álcool, mais 2.000 do que 2014, indicou a corporação, que intensificou a partir desta segunda-feira a fiscalização à condução sob efeito de álcool e drogas.

No comunicado para divulgar a “Operação Tispol – Álcool e drogas “, que se prolonga ao longo desta semana, a Guarda Nacional Republicana adianta que, entre 01 de janeiro e 06 de dezembro, realizaram-se cerca de 1.200.000 testes de alcoolemia a condutores, dos quais 26.959 conduziam com taxa de álcool no sangue (TAS) superior ao permitido por lei, mais 2.386 do que em igual período de 2014.

A GNR sublinha que 37 por cento dos condutores com excesso de álcool, cerca de 10 mil, foram detidos este ano por ter uma TAS de igual ou superior a 1,20 gramas/litro, o que é considerado crime.

Segundo a GNR, os distritos onde foram apanhados mais condutores com excesso de álcool ao volante foram Braga (3.404), Aveiro (3.185) e Faro (2.978).

Os dados foram divulgados no dia em que a GNR intensifica a condução sob o efeito do álcool e de drogas em todo o país no âmbito de uma operação que vai decorrer em todos os países da Europa até domingo.

A GNR indica também que as ações vão ser “direcionadas sobretudo para as vias e locais onde as infrações por excesso de álcool e por consumo de substâncias psicotrópicas são mais frequentes”.

A operação está enquadrada no plano definido pela European Traffic Police Network (TISPOL - www.tispol.org/), organismo que congrega todas as polícias de trânsito da Europa, no qual a GNR é representante nacional, e pelo Euro Controle Route (ECR - www.euro-controle-route.eu/site/), um grupo de serviços de controlo das estradas europeias cujo objetivo é o de melhorar a segurança rodoviária.