O Tribunal de Almada condenou várias pessoas a penas de prisão efetiva entre os quatro e os sete anos, no âmbito de um processo de tráfico de droga entre Marrocos e Portugal.

De acordo com informação da Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa, no âmbito do processo foi possível desmantelar uma rede que se dedicava a trazer haxixe de Marrocos para Portugal, com o auxílio das chamadas «mulas», que engolem as bolotas de haxixe para depois as expelirem no destino.

A arguida que era vista como a líder do grupo foi condenada a sete anos e seis meses de prisão, enquanto o organizador das viagens foi condenado a seis anos de prisão.

Um outro homem que era organizador e transportador, foi condenado a seis anos e seis meses de prisão, enquanto uma «mula» com ligações aos líderes do grupo foi condenada a quatro anos e 10 meses de prisão e uma outra transportadora, que também organizava as viagens, foi condenada a seis anos de prisão.

Outras transportadoras foram condenadas a penas de quatro anos e seis meses e de quatro anos e nove meses de prisão, neste caso com suspensão da execução.

Do processo resultou ainda a absolvição de uma arguida.