A Polícia Judiciária (PJ) anunciou hoje a detenção de um suspeito de integrar o grupo que, há um mês, descarregou em Tavira mais de duas toneladas de haxixe, tendo sido detidos na ocasião cinco homens.

Aos cinco homens, que estão a aguardar julgamento em prisão preventiva, junta-se agora um sexto suspeito, de 47 anos, que terá alegadamente participado na operação de descarga de 70 fardos de haxixe nas margens do Rio Gilão, em Tavira, na madrugada de 24 de fevereiro.

Em declarações à agência Lusa, fonte da diretoria do Sul da PJ adiantou que o homem, detido na zona de Aveiro, ter-se-á apercebido das movimentações da polícia e fugido, condição em que permaneceu durante um mês.

No entanto, a PJ tinha conhecimento da existência de um sexto elemento e desde essa altura que estava a monitorizá-lo, tendo conseguido detê-lo na tarde de quinta-feira, concluiu a mesma fonte.

Os detidos integram, alegadamente, uma rede doméstica de tráfico de droga, sendo que o destino provável das duas toneladas de haxixe apreendidas pela polícia seria o mercado espanhol.

Dois dos homens foram detidos nas suas residências, após o descarregamento da droga, enquanto os outros três foram intercetados na Fuseta, em Olhão, a poucos quilómetros de distância.

A PJ viria a apreender a droga já no interior de uma carrinha, veículo que serviria para fazer o transporte da droga por terra.

O valor comercial de um quilograma de haxixe ronda os 1.000 euros, mas o preço aumenta na venda direta ao consumidor.