O juiz desembargador jubilado Narciso Machado defendeu esta segunda-feira que o local de nascimento de Afonso Henriques «não se adquire por usucapião», rejeitando a tese de Almeida Fernandes que diz que o primeiro rei de Portugal nasceu em Viseu.

«O doutor Fernando Ruas e os seus assessores estão equivocados. O local de nascimento de Afonso Henriques não se adquire por usucapião, figura jurídica que significa adquirir a propriedade ou outros direitos pelo decurso de um determinado período de tempo», referiu.

A 16 de julho foi anunciada a colocação de uma estátua, em Viseu, em homenagem ao primeiro rei de Portugal, paga por uma comissão constituída por personalidades da sociedade civil.

Naquela ocasião, o presidente da Câmara de Viseu, Fernando Ruas, considerou que o tempo já se encarregou de confirmar que Viseu é a terra natal de Afonso Henriques.

«Já passou o tempo necessário para que os académicos se entendessem. O facto de um académico prestigiado [Almeida Fernandes] referenciar que Afonso Henriques nasceu em Viseu e o facto de nenhum académico vir contrariar esta ideia é tempo suficiente para se aceitar que de facto foi Viseu a sua terra natal e dar isso como definitivamente conquistado», disse.

O autarca recordou que durante muito tempo se reclamaram três possíveis cidades para o nascimento do primeiro rei de Portugal, Viseu, Guimarães e Coimbra, e que para acabar com a polémica Guimarães "encomendou um livro a um historiador afamado".

«Apesar de a encomenda lhe ter vindo de Guimarães, o doutor Almeida Fernandes concluiu que Afonso Henriques tinha nascido em Viseu», frisou.

O juiz desembargador jubilado sublinhou que não houve silêncio por parte dos académicos sobre o assunto, apontando a posição do professor José Mattoso, «o mais reputado historiador e investigador da atualidade».

«José Mattoso teve o cuidado de se demarcar, publicamente, da posição do doutor Almeida Fernandes, censurando severamente os que queriam arrastá-lo para as pretensões de Viseu», acrescentou.

Narciso Machado sustenta ainda que em Viseu, ao longo dos tempos, não existe nada que evidencie uma tradição a favor do nascimento de Afonso Henriques, já que nem foral lhe foi atribuído.

«Pelo contrário, a favor de Guimarães, além da tradição, existe prova indireta que nos leva ao local de nascimento de Afonso Henriques», alega.

Também na semana passada, Barroso da Fonte, o investigador e jornalista que liderou a contestação à teoria de Almeida Fernandes, frisou que não há provas documentais que atestem que Afonso Henriques nasceu em Viseu.

«Quando é assim deve manter-se a tradição, que diz que Guimarães é o berço da nação e do primeiro rei de Portugal», conta a Lusa.