Os voos da TAP passam a ter, a partir desta sexta-feira, dois tripulantes no cockpit durante todo o voo, dando seguimento ao reforço de medidas de segurança decidido pelo Instituto Nacional da Aviação Civil (INAC).

Segundo fonte oficial da companhia aérea, «a orientação que a TAP tem seguido até aqui é que as ausências do cockpit’do comandante ou do copiloto se verifiquem apenas em situações excecionais, com a recomendação de que quando tal se verifique haja uma substituição por outro tripulante, para que haja sempre dois elementos no cockpit».

«Face à orientação agora divulgada pelo INAC, autoridade nacional competente, a TAP passa a assumir esta recomendação como obrigatória aplicando-a em todos os seus voos», adiantou à Lusa a mesma fonte.


O I NAC decidiu emitir uma diretiva de navegabilidade, que obriga as companhias aéreas a manterem «em permanência, no mínimo, dois tripulantes no cockpit, em todas as fases de voo».

A informação foi avançada esta sexta-feira num comunicado da entidade reguladora e foi decidida no seguimento de contactos entre o instituto e a Agência da Aviação Civil Europeia, «com vista à concertação dos Estados-membros acerca das medidas a tomar» face às causas do acidente da Germanwings, indicou o INAC.

A nova diretiva é uma medida de caráter preventivo e «que será divulgada junto de todos os operadores», constituindo «mais um contributo para a melhoria da segurança em voo», tendo em conta a «mitigação» dos riscos associados ao acidente da transportadora.

O secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, já tinha anunciado que o INAC iria emitir esta nova recomendação.