Deram negativo as análises à mulher de 30 anos que deu entrada, esta sexta-feira, no hospital do Barreiro, com sintomas de ter contraído o vírus Ébola.

A notícia foi confirmada pelo diretor-geral de Saúde, Francisco George,  à TVI  que avança que a mulher está infetada com Malária.

Segundo Francisco George a doente vai continuar internada, isolada e a receber tratamento para a malária no Hospital Curry-Cabral, para onde tinha sido transferida do hospital do Barreiro.

Este é o nono caso suspeito de ébola em Portugal, nenhum acabou por se confirmar.

Segundo a agência Lusa, a mulher tinha chegado a Portugal no dia 11 de fevereiro proveniente da província de Boke, na Guiné-Conacri, tendo adoecido na última semana, apresentando um quadro febril.

Seguindo o protocolo, a mulher foi encaminhada para o hospital Curry Cabral, unidade que tem 14 quartos de isolamento imediatamente disponíveis para receber eventuais casos de doentes infetados por vírus Ébola. Outros dez poderão ser usados na eventualidade de serem necessários.

Portugal dispõe de um plano de contingência para o Ébola que inclui linhas telefónicas para triagem e encaminhamento, a equipa do Instituto Ricardo Jorge, os três hospitais de referência (Curry Cabral, Estefânia e São João), três bases de ambulância em Lisboa, Porto e Coimbra, com 12 tripulantes equipados e de prontidão, bem como a equipa de resgate nacional, pronta para ir buscar portugueses a qualquer parte do mundo.

De acordo com os dados mais recentes da OMS, mais de 23.000 pessoas foram infetadas com o vírus do Ébola e mais de 9.400 morreram nesta epidemia, que começou em dezembro de 2013 na África ocidental, a mais grave desde que o vírus foi identificado na África central em 1976.