Jornalistas de vários órgãos de comunicação social concentraram-se esta tarde frente ao edifício do «Diário de Notícias» em Lisboa para protestar contra o despedimento coletivo de trabalhadores do grupo Controlinveste.

A iniciativa surgiu «espontaneamente» através do Facebook, segundo explicou à Lusa Fernando Valdez da direção do Sindicato dos jornalistas, que considera «sem qualquer justificação» este despedimento coletivo.

«As administrações [dos órgãos de comunicação social] não procuram encontrar soluções em diálogo com os trabalhadores e, perante dificuldades, preferem despedir», afirmou no decorrer do protesto, salientando que a saída «em massa» de mais de uma centena de jornalistas da Controlinveste «vai diminuir drasticamente» a qualidade da informação.

O grupo, que detém títulos como o «Jornal de Notícia», «Diário de Notícias», TSF e «Jogo», terá alegado razões financeiras para o despedimento, mas os trabalhadores criticam a falta de outras soluções.

«Não foi considerada a possibilidade de renegociar os salários de topo, incluindo os das direções, porque a administração considera muito baixa a média da TSF e diz que isso não resolvia o problema», contou à Lusa João Paulo Baltazar, jornalista desta rádio há mais de duas décadas.

No caso de João Paulo Baltazar, a direção alegou motivos financeiros para o despedimento, por ganhar o salário mais alto da TSF entre aqueles que integram as equipas de informação, mas o repórter fotográfico da Global Imagens, Jorge Carmona, contou à Lusa que foi também despedido apesar de ganhar o salário mais baixo da sua empresa.

No protesto estiveram jornalistas de outros órgãos de informação e ainda representantes do PCP e do Bloco de Esquerda.

A direção do sindicato defende que a situação económica só pode ser melhorada em diálogo com os trabalhadores, e não contra os trabalhadores, e diz que não vai desistir. «Vamos convocar plenários nas redações e apelar à unidade dos trabalhadores para combater este e outros despedimentos», disse Fernando Valdez.

O grupo de comunicação social Controlinveste, detentor do «Jornal de Notícias», «Diário de Notícias», TSF e «Jogo», entre outros, anunciou quarta-feira que vai despedir 140 trabalhadores e negociar a saída de mais 20.

«A evolução negativa do mercado dos media, tanto em Portugal como na Europa, e a acentuada quebra de receitas do setor impõem à Controlinveste Conteúdos uma decisão estratégica de redução de custos para garantir a sustentabilidade do nosso negócio», justificou ao conselho de administração do grupo.