Os doentes que sofrem de diabetes tipo 2, o tipo de diabetes mais comum, têm maior risco de vir a ter cancro do que a população normal, disse, nesta sexta-feira, o coordenador do Fórum Diabetes, que se realiza no sábado.

“O cancro em portadores de diabetes tem um prognóstico significativamente pior do que na população sem diabetes”, acrescentou Miguel Melo, que é também assistente hospitalar do Serviço de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra e professor da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra.

A ligação entre estas duas doenças é um dos principais temas do Fórum Científico que a farmacêutica Bial promove na Alfândega do Porto, no sábado, Dia Mundial da Diabetes.

Segundo o especialista, nos últimos anos o melhor tratamento da diabetes proporcionado pelos avanços científicos tem levado a um aumento da esperança de vida e à consequente emergência de novas condições associadas à diabetes, como a disfunção cognitiva e demência, a depressão e o cancro.

“Estima-se que na próxima década as neoplasias possam inclusivamente ultrapassar a doença cardiovascular como causa de morte nas pessoas com diabetes”, referiu.

A relação entre diabetes e cancro é das “mais perigosas”, salientou Miguel Melo.
 

“Praticamente todos os cancros, sobretudo os mais frequentes, aumentam nas pessoas com diabetes. Sabemos que quase inevitavelmente uma pessoa com diabetes não controlada e que seja obesa vai ter pelo menos um cancro a partir dos 70 ou 80 anos. Sabe-se hoje que há uma correlação muito forte entre diabetes, obesidade e prevalência do cancro.”


“Onde há população mais obesa e com maior prevalência de diabetes, há maior prevalência de cancro”, frisou.

Segundo o especialista, “apesar de haver muita investigação em torno da diabetes, grande parte dessa investigação não tem sido dirigida para a ligação entre diabetes e cancro". "Tem sido mais dirigida à relação entre diabetes e doenças cardiovasculares”, indicou.

“É urgente mudar este panorama porque quando as doenças cardiovasculares forem reduzidas vamos perceber a importância de saber mais sobre esta relação entre a diabetes e o cancro”, considerou.

De acordo com dados disponibilizados pela organização do fórum, mais de um milhão de portugueses sofre de diabetes e todos os dias surgem 150 novos casos da doença em Portugal.

O coordenador do Fórum Bial Diabetes considera, por isso, que “a diabetes é um dos principais desafios da Saúde em Portugal".
 

"Há dois milhões de portugueses em risco de pré-diabetes e cerca de 40% das pessoas não sabem que têm a doença, pelo que não estando devidamente acompanhadas e medicadas desenvolvem complicações com as quais é mais difícil de lidar numa fase avançada.”


“Estima-se que a diabetes roube em média nove anos de vida a pessoas com mais de 70 anos, um acréscimo de 12 meses em apenas dois anos”, sublinhou.

Miguel Melo, que também é membro da Direção da Sociedade Portuguesa de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo, disse que o encontro irá abordar duas áreas fundamentais: cérebro e diabetes e cancro e diabetes.