A movimentação de pessoas durante os meses de verão torna “provável que Portugal importe sarampo” durante esse período, afirmou hoje a diretora-geral da Saúde, garantindo que essa é uma das preocupações da Direção-geral da Saúde (DGS).

Numa sessão de apresentação do plano de contingência para o verão, Graça Freitas afirmou a preocupação da DGS com a hipótese de haver “importação de sarampo”.

“Podemos voltar a ter sarampo pois muito mais gente se vai estar a mexer de um lado para o outro, é provável que importemos sarampo”, afirmou a diretora-geral.

De acordo com a responsável, para além da população sazonal, as temperaturas e os comportamentos de risco são as três coisas mais importantes para o verão.

Segundo Graça Freitas estes três fatores são responsáveis por “doenças agudas, acidentes e doenças crónicas”, que influenciam os cuidados de saúde.

O plano de contingência saúde sazonal, módulo verão, entrou em vigor no dia 01 de maio e terminará a 30 de setembro, sendo possível a sua ativação em outros períodos "em função das condições meteorológicas”.