Há 26 casos de sarampo em Portugal, contabilizados desde janeiro, segundo o último balanço da Direção-Geral de Saúde. O último balanço, da semana passada, dava conta de um total de 16 casos, pelo que o número de doentes tem vindo a aumentar e DGS assume que mais pessoas podem ficar infetadas.

Francisco George, diretor-geral de Saúde, disse durante a tarde desta segunda-feira que há 26 casos: 15 confirmados e 11 sob investigação.

Durante a manhã, a DGS tinha informado que havia 23 casos: "Foram notificados 23 casos, dos quais 11 confirmados pelo Instituto Ricardo Jorge, e os restantes 12 ainda em fase de investigação", destacava o comunicado divulgado no site da Direção-Geral de Saúde. 

A DGS alertou os pais para a necessidade de "vacinarem os seus filhos sem hesitação, uma vez que as vacinas estão disponíveis no país".

Um dos casos mais complicados, segundo noticiou o jornal Expresso, é de uma jovem de 17 anos internada no hospital de Cascais (com seis casos confirmados) que teve de ser transferida para o Hospital D. Estefânia, em Lisboa, devido ao agravamento do estado de saúde.

A jovem terá sido contagiada por uma criança de 13 meses, não vacinada, que depois terá também contagiado quatro funcionários do hospital, dois dos quais médicos.

A primeira dose da vacina contra o sarampo é recomendada aos 12 meses. A segunda dose é aos 5 anos. 

Leia também: 

O sarampo é uma das doenças infeciosas mais contagiosas, podendo provocar doença grave ou mesmo a morte. É evitável pela vacinação e está, há vários anos, controlada em Portugal.

Consideram-se já protegidas contra o sarampo as pessoas que tiveram a doença ou que têm duas doses da vacina, no caso dos menores de 18, e uma dose quando se trata de adultos.

Mais de 500 casos de sarampo foram reportados só este ano na Europa, afetando pelo menos sete países, segundo a Organização Mundial da Saúde.