A taxa de cobertura da vacinação contra a gripe é superior em 40% à registada na mesma altura no ano passado na população idosa, disse esta sexta-feira o diretor-geral da Saúde, Francisco George.

Indicando que a grande maioria das pessoas com mais de 65 anos já estarão vacinadas, Francisco George indicou que a partir deste mês os centros de saúde poderão alargar as vacinas gratuitas também à restante população de risco, como os doentes crónicos.

«Foram enviadas orientações às administrações regionais de saúde e a todos os centros de saúde no sentido de, em função das disponibilidades de cada unidade, poder ser alargada a vacinação gratuita sobretudo a doentes com indicação médica para fazer a proteção contra a gripe», tal como já sucedeu no ano passado, afirmou o diretor-geral da Saúde em declarações à Lusa.

Segundo o responsável, este procedimento não é inovador e ocorre quando as autoridades começam a identificar uma descida da vacinação na população idosa, alargando a gratuitidade a quem mais precisa de ser imunizado.

Aliás, Francisco George está convicto de que a maioria dos idosos já foi vacinada, com a taxa de cobertura a ser superior em 40% à do ano passado na mesma altura para este grupo que tem vacinas gratuitas nos centros de saúde.

«Houve mais procura durante o mês de outubro e durante as primeiras semanas do mês de novembro», indicou, acrescentando que ainda não há atividade gripal em Portugal.

Este ano, o Estado adquiriu cerca de 1,1 milhões de vacinas contra a gripe destinadas a serem dadas nos centros de saúde, a acrescentar às mais de 500 mil que foram distribuídas pelas farmácias para poderem ser compradas mediante receita médica.