Cinco arguidos detidos por suspeitas de furtos em centros comerciais entre outubro de 2013 e março deste ano ficaram sujeitos a prisão preventiva, comunicou hoje a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL) na sua página na internet.

Segundo a PGDL, os arguidos «constituíam um grupo que praticava sistematicamente furtos em centros comerciais em Lisboa, Loures, Seixal, Mem Martins, Setúbal, Barreiro, Gondomar, Vila Nova de Gaia, Coimbra, Oeiras e Santa Maria da Feira».

Os assaltos eram realizados «com alarme social e impunidade», uma vez que, quando eram surpreendidos em flagrante delito pelos seguranças dos centros comerciais, «reagiam violentamente».

O grupo foi desmantelado na sequência de uma operação de buscas e detenções realizada na semana passada pela PSP, que apreendeu «produtos e instrumentos dos crimes, designadamente inúmeras peças de vestuário, jogos e muitos outros objetos e aparelhos eletrónicos».

A investigação do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) apurou que os produtos furtados «eram destinados à remessa, por contentor, para Cabo Verde, onde seriam transacionados como se tivessem proveniência lícita».

Os arguidos estão indiciados da prática dos crimes de furto qualificado, violência após a subtração e detenção de armas proibidas.