Um homem de 46 anos foi detido pela Polícia Judiciária por suspeita de um homicídio em Felgueiras, a 27 de abril, e acabou por confessar um outro homicídio, pelo qual um jovem de 27 anos está a cumprir uma pena de 12 anos de prisão.

 

O suspeito foi detido com a mulher, de 40 anos, pelo alegado homicídio de uma mulher em Lixa, Felgueiras, na sequência de um roubo. A vítima, de 39 anos, foi encontrada na cama, de pés atados, esfaqueada.

 

Na sequência do interrogatório, o homem acabou por confessar «outros crimes», disse fonte da PJ à TVI24, entre os quais um homicídio ocorrido em Joane, Famalicão, a 29 de março de 2012.

 

A confissão refere-se à morte de uma reformada de 73 anos, encontrada duas semanas depois de ter sido morta. Devido a este crime, um jovem de 27 anos, sobrinho da vítima mortal, foi condenado a 20 anos de prisão. O advogado recorreu para o Tribunal da Relação, que baixou a pena para 12 anos, encontrando-se ainda pendente um recurso no Supremo Tribunal de Justiça.

 

Paulo Gomes, advogado do jovem condenado pela morte da tia, já teve conhecimento da confissão deste crime por parte de outro homem. Em declarações ao «Jornal de Notícias», disse que ia aguardar que este fosse ouvido «em primeiro interrogatório judicial, para requerer uma certidão» das declarações. Caso se confirme a confissão, o advogado vai pedir que a medida de coação do seu cliente «seja alterada para que este aguarde o desenrolar do processo em liberdade».

 

«Houve uma reconstituição feita pela PJ, sem a presença de um advogado, mas há provas» que colocam o seu cliente noutra localização à hora do crime, explicou ao «JN» Paulo Gomes.

 

As duas vítimas, a de Felgueiras e a de Joane, eram vizinhas do suspeito agora detido, que terá confessado os homicídios com o objetivo de roubar as mulheres.

 

O homem diz ter cometido os crimes com a ajuda da mulher que o estava agora a chantagear, pressionando-o a efetuar mais crimes para trazer dinheiro para casa.

 

O suspeito está a ser ouvido no tribunal de Marco de Canaveses.