O Tribunal da Relação de Lisboa recusou esta terça-feira a extradição do chinês portador de visto gold, determinando que Xiaodong Wang, detido em Portugal desde finais de abril, seja libertado.

Fonte da Relação de Lisboa disse à agência Lusa que foi entendido que os factos que estavam na base do pedido de extradição de Wang enviado pelas autoridades judiciais chinesas, no âmbito de processo relacionado com a prática dos crimes de fraude e abuso de confiança, não têm correspondência com o regime jurídico português.

O mandado de detenção foi emitido no âmbito de um processo em que Wang foi condenado a 10 anos de prisão, por ter-se apropriado de forma ilícita de 12 milhões de yuan (moeda chinesa).

Wang, que adquiriu um imóvel de luxo em Cascais ao abrigo do visto gold, programa de autorização para atividade de investimento em Portugal, foi ouvido pelos juízes conselheiros da Relação de Lisboa por duas vezes.

O chinês foi detido a 20 de março, em Cascais, e, no primeiro inquérito, expressou que não queria ser extraditado para a China, para cumprir a pena.

No segundo interrogatório, o cidadão oriental foi confrontado com a mesma questão e insistiu na recusa para ser extraditado.

A Procuradoria-Geral da República está a investigar o cidadão chinês pelo crime de branqueamento de capitais.