Um homem foi detido na noite de quinta-feira, por ter entrado sem autorização na placa do aeroporto de Lisboa, e será ouvido entretanto em tribunal, disseram à Lusa fontes oficiais.

O indivíduo, do sexo masculino, «foi detido dentro do perímetro do aeroporto, e o caso foi entregue às autoridades policiais», disse à Lusa o porta-voz da empresa Aeroportos e Navegação Aérea (ANA), Rui Oliveira.

O responsável adiantou que a deteção na placa, seguida da detenção, se deu cerca das 22:30 de quinta-feira.

O comissário Rui Costa, porta-voz do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, disse à Lusa que o individuo, de nacionalidade estrangeira, foi encontrado e detido por intrusão em lugar vedado ao público e que estava na posse de uma arma branca (faca).

O homem, de nacionalidade holandesa, foi detido junto de um avião da transportadora aérea angolana, TAAG, que deveria ter partido para Luanda na noite de quinta-feira, disse à Lusa, em Luanda, o porta-voz da TAAG, Carlos Vicente.

Carlos Vicente acrescentou que a situação provocou um atraso no voo, entre Lisboa e a capital angolana, de duas horas e quarenta e três minutos.

O caso deu-se pouco antes da partida de Lisboa do voo DT 653, agendado para às 22:15 de quinta-feira.

Durante as manobras de aproximação de uma manga para entrada de passageiros, pessoal de terra avistou uma «sombra» junto ao aparelho da TAAG, explicou Carlos Vicente.

«De imediato o pessoal acionou a polícia aeroportuária, que chegou ao local e detetou um indivíduo, estranho, de nacionalidade holandesa, que presumivelmente teria violado o espaço da placa do aeroporto da Portela e que foi em direção ao avião», acrescentou o porta-voz da TAAG, em declarações à Lusa, em Luanda.

Depois da detenção do individuo suspeito, foram iniciadas operações na envolvente para verificar as condições de segurança existentes, tendo o voo descolado já perto das 01:00, «sem qualquer constrangimento» adicional.

«Não se sabe ao certo o que terá acontecido, como é que o indivíduo conseguiu entrar na placa. Sabemos que o serviço de segurança no aeroporto da Portela é credível, aguardamos informações», disse ainda Carlos Vicente, como reporta a Lusa.