A Polícia Judiciária (PJ) deteve 13 pessoas pela prática continuada dos crimes de burla agravada e falsificação de documentos, num caso relacionado com crédito ao consumo, informou esta quarta-feira a PJ.

De acordo com a Lusa, a investigação decorria há cerca de um ano e meio e visava um grupo que recorria a identidades falsas ou de terceiros, os quais, a troco de dinheiro, facultavam os seus elementos de identificação para instruir, de forma fraudulenta, processos de crédito ao consumo.

Na operação "Game Over", que desmantelou o grupo, a PJ efetuou 41 buscas e apreendeu 17 automóveis, nove mil euros em dinheiro, 93 computadores e telemóveis, uma arma de fogo e uma grande quantidade de documentação ligada à atividade delituosa.

As aquisições do grupo incidiam sobre bens móveis, especialmente viaturas, computadores e telemóveis, mas, também, sobre imóveis, acabando por lesar as entidades financeiras e, igualmente, terceiros de boa-fé que posteriormente adquirissem os bens.

Além do recurso ao crédito efetuado dessa forma, o grupo também transacionava viaturas furtadas ou roubadas.

Com este modo de atuação, os autores conseguiram recolher e distribuir por si, globalmente, montantes que ascendem a várias centenas de milhares de euros, indica a PJ.

Os detidos, 11 homens e duas mulheres, com idades entre os 31 e os 69 anos, serão hoje submetidos a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação.