A Polícia Judiciária deteve dois homens e identificou um familiar destes, na Figueira da Foz, pela presumível autoria dos crimes de ameaça agravada, dano e detenção de arma proibida, foi anunciado esta quinta-feira.

Em comunicado, a Diretoria do Centro da PJ informa que os factos ocorreram “em meados do passado mês de julho”, na zona da Figueira da Foz, distrito de Coimbra, e que os suspeitos “atuaram durante a noite num quadro de vingança”.

Os três arguidos, pai e filhos, de 45, 23 e 19 anos, fizeram “vários disparos de armas de fogo contra janelas de residências habitadas, bem como contra veículos das vítimas estacionados na via pública”.

Os dois detidos são apresentados, na tarde desta quinta-feira, no Tribunal de Instrução Criminal (TIC) de Coimbra, para um primeiro interrogatório judicial e aplicação das medidas de coação, disse à agência Lusa uma fonte policial.

Os tiroteios ocorreram nos dias 12 e 15 de julho, num contexto de “conflito entre duas famílias”, referiu a fonte.

As buscas e as detenções foram realizadas pela PJ, na quarta-feira, com a colaboração da PSP da Figueira da Foz, mas o suspeito mais jovem “tinha sido detido uns dias antes” no âmbito de outro processo, cujo julgamento aguarda em prisão preventiva, acrescentou.

“Para além do medo e grande constrangimento provocados, a ação criminosa provocou alarme social e um grande sentimento de insegurança na população local”, adianta a PJ no comunicado.