O reitor da Universidade Fernando Pessoa, Salvato Trigo, está a ser julgado em tribunal por alegadamente ter desviado pelo menos três milhões de euros da instituição em benefício próprio. Segundo o jornal Público, o julgamento, que começou em outubro, decorre à porta fechada no no Tribunal Judicial da Comarca do Porto.

De acordo com o Público, que teve acesso à acusação, o reitor terá montado vários esquemas para fazer sair elevadas quantias de dinheiro da fundação que detém a universidade. O dinheiro seria canalizado para uma empresa cujos sócios são a mulher e os dois filhos.

Salvato Trigo está a ser julgado pelo crime de infidelidade, um ilícito punido “com pena de prisão até três anos ou com pena de multa”.

O caso foi denunciado pela Ordem dos Contabilistas Certificados, tendo a Polícia Judiciária feito perícias que suportam a acusação.

Contactado pelo Público, o reitor afirmou que a acusação é “completamente falsa”.

Salvato Trigo já foi condenado, no final dos anos 90, a dez meses de prisão com pena suspena por ter desiado subsídios do Fundo Social Europeu, quando era diretor da Escola Superiror de Jornalismo do Porto.