O Ministério da Defesa vai pagar 1,2 milhões de euros à empresa IDD para «prosseguir o projeto de destruição de munições e explosivos obsoletos» das Forças Armadas, refere um despacho publicado esta quinta-feira em Diário da República.

De acordo com o despacho assinado pelo ministro José Pedro Aguiar-Branco, esta contratação da IDD - Plataforma das Indústrias de Defesa Nacionais por ajuste direto deve-se ao facto da empresa ser «a única entidade dotada de capacidade técnica para a desmilitarização», como cita a Lusa.

O despacho justifica este processo com «o grau elevado de degradação e risco» deste material e que a sua destruição deve «atender a boas práticas e técnicas de manuseamento que cumpram as normas de segurança e ambientais».

A destruição deste material explosivo e de munições será suportada com verbas do Orçamento do Estado para 2015.