O motorista do autocarro que se despistou no domingo, perto de Nisa, Portalegre, é o único dos feridos transportados para o hospital de Portalegre que permanecia esta manhã internado na unidade, tendo os restantes tido alta.

Fonte da Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano (ULSNA) disse à agência Lusa que o hospital de Portalegre recebeu um total de 16 feridos: o motorista e 15 jovens que seguiam no autocarro.

Os jovens, até cerca da 01:00, foram tendo alta. A única pessoa que ainda aqui está internada é o motorista, por precaução, não só física, mas também psicológica”, disse a fonte, acrescentando ser “provável” que o homem “ainda possa ter alta hoje”.

Segundo o porta-voz da ULSNA, Ilídio Pinto Cardoso, tanto o motorista, cuja idade não precisou, como “quase todos” os jovens “apresentavam várias escoriações”.

Foram suturados [e submetidos] a meios complementares de diagnóstico e, como não apresentavam nada de mais grave e os pais estavam aqui, foram tendo alta”, acrescentou.

O autocarro transportava jovens que estavam a regressar de uma viagem de finalistas a Espanha e o despiste provocou um morto e mais de 30 feridos ligeiros.

O acidente, cujo alerta foi dado aos bombeiros às 17:56, aconteceu no Itinerário Principal (IP) 2, entre o nó de Arez e a Barragem de Fratel, no concelho de Nisa, distrito de Portalegre.

A vítima mortal, de 18 anos, oriunda de Tortosendo, perto da Covilhã, no distrito de Castelo Branco, foi transportada para os serviços de Medicina Legal do hospital de Portalegre.

O corpo está entregue ao Ministério Público e vai ser sujeito a autópsia”, disse a fonte da ULSNA.

O autocarro acidentado transportava, além do motorista, 48 passageiros, sobretudo jovens entre os 18 e os 23 anos, provenientes da Covilhã e de Belmonte, que estavam a regressar de uma viagem de finalistas do ensino secundário a Espanha, segundo fontes da Proteção Civil e da GNR.

Além do motorista e dos 15 jovens transportados para Portalegre, outros 13 feridos foram levados para o hospital de Abrantes, no distrito de Santarém, e cinco para o hospital de Castelo Branco.

Os 13 feridos ligeiros transportados para Abrantes já tiveram alta, disse hoje a diretora clínica do Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT).

Todos os jovens seguiram para casa ainda durante a madrugada, à exceção da ferida ligeira, que ainda aqui permanece, mas que já tem alta clínica e aguarda apenas pela chegada dos pais para sair do hospital", disse Cristina Gonçalves, a meio da manhã, referindo-se à jovem que inicialmente foi considerada ferido grave.

Depois de fazer exames, concluiu-se, porém, que a estudante não sofreu lesões crânio-encefálicas, como se suspeitava.

Segundo a responsável, ao Plano de Contingência em Situação de Catástrofe ativado pelo CHMT os profissionais "corresponderam a 100%", tendo o mesmo sido desativado pouco depois da 24:00.

O CHMT agrega as unidades hospitalares de Abrantes, Tomar e Torres Novas, no distrito de Santarém.

Também os cinco feridos ligeiros, três rapazes e duas raparigas, que foram reencaminhados para o Hospital Amato Lusitano, já tiveram alta, disse o presidente da Unidade Local de Saúde.

De acordo com Vieira Pires, uma das raparigas, que exigia mais preocupação, apresentava uma fatura no úmero.

A Unidade Local de Saúde de Castelo Branco requisitou uma psicóloga para apoio aos familiares dos acidentados.

Os cinco feridos, caso haja necessidade, terão acompanhamento nos respetivos centros de saúde, disse ainda Vieira Pires.