O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê uma mudança do estado do tempo no Continente nos próximos dias, com chuva forte e descida acentuada das temperaturas, em especial na terça e quarta-feira.

A partir de amanhã [segunda-feira] vai haver, de facto, uma mudança do estado do tempo, sentida especialmente na terça e na quarta-feira”, afirmou hoje a meteorologista Maria João Frada à Lusa, acrescentando que se tratará de “uma mudança para o outono”.

Depois de na semana passada Portugal Continental ter registado temperaturas muito elevadas, sendo terça-feira o dia mais quente do ano, o IPMA prevê que “as temperaturas vão descer para valores que não vão ultrapassar, no máximo dos máximos, 22/23 graus”.

As [temperaturas] mínimas andarão na casa dos oito, dez, 12 graus. No Algarve [serão] um pouco mais altas, entre 15, 17 graus, mas nas serras mais altas, nomeadamente na Serra da Estrela, as mínimas podem ir na quarta-feira para os cinco, seis graus”, disse.

Maria João Frada explicou que “a massa de ar que vai atravessar o território do Continente na terça-feira é tropical ou equatorial modificada, vem do Atlântico, e está associada a uma depressão que está centrada a noroeste das ilhas britânicas”.

Essa massa de ar tem muita atividade e tem potencial para dar precipitação muito forte” na terça-feira, disse, “são as primeiras precipitações de setembro já a querer indicar que estamos numa mudança para o outono”.

De acordo com a meteorologista, na segunda-feira o céu ainda estará pouco nublado ou limpo, no entanto, no litoral oeste, e em especial na faixa costeira a norte do Cabo Raso, haverá nebulosidade baixa, eventualmente neblinas e nevoeiros que podem persistir em alguns locais ao longo do dia.

Mas a partir do final da tarde de segunda-feira, e em especial durante o dia de terça-feira, a passagem no território de um sistema frontal de forte atividade vai dar “precipitação forte em qualquer local do Continente”.

Em qualquer local a probabilidade de precipitação forte é elevada”, sustentou, acrescentando que “não se pode excluir que não haja trovoada”.

Segundo referiu, provavelmente o país ficará “pintado de amarelo”, cor do primeiro aviso do IPMA que é emitido quando estão previstos ou se observam fenómenos meteorológicos adversos.

O estado do tempo volta a “melhorar significativamente” a partir da tarde de terça-feira, mas apenas na região sul, onde o céu tornar-se-á gradualmente pouco nublado.

Para as regiões do norte e centro estão ainda previstos “aguaceiros, por vezes fortes, que podem ser de granizo e acompanhados de trovoada”.